Marcos Ramon

Eu insisto

E insisto porque não sei ser diferente disso que eu sou. Isso que eu vejo no espelho, isso que caminha, come e pensa. Isso que agora, sentado e cansado, escreve pra ninguém.

Me comove - ou me incomoda? - o fato de eu não saber ser outro, de não conseguir abandonar manias e simplesmente deixar tudo passar. Tem gente que sabe desencanar de si como quem olha pros carros que passam na rua. Parece fácil. E eu invejo tudo que é fácil, tudo que é simples.

Eu sei que tudo que escrevo parece um lamento. Mas é que eu insisto em ser quem eu sou… e não sei ser diferente.

Ilustração de Raj Dhunna


Marcos Ramon / Professor de Filosofia, pesquisando estética e cibercultura.

Inscreva-se na newsletter para receber atualizações por email. 😉