Marcos Ramon

Como se nada tivesse mudado


Comigo é assim: tem dias em que eu acordo com a sensação de que se passaram muitos dias sem que eu tivesse me dado conta.

Sabe aquela sensação de acordar às 10h30 no domingo e ficar preocupado por estar atrasado, mas na verdade não, pois você não tem compromisso nenhum nesse dia?

Então, é exatamente isso. Mas amplificado pra dias e não horas e em uma intensidade que chega a incomodar (porque ocorre em um dia aleatório, não exatamente em um domingo).

E o mais estranho é sentir que o tempo não passou, mas que só você acredita nisso. Pros outros muita coisa aconteceu e só você não sabe de nada, só você não entende o contexto das conversas e não compreende as mudanças que ocorreram nos últimos dias. Quando isso acontece - e como eu disse, sempre acontece! - eu fico me perguntando se sou eu que estou certo ou se são os outros; se isso é algum tipo de conluio, se querem me enlouquecer ou se eles é que já estão loucos…

Quero acreditar nisso: às vezes ninguém está com a razão, porque não existe razão pra coisa alguma.

Escultura de Edoardo Tresoldi.

Marcos Ramon

Marcos Ramon

Professor no Instituto Federal de Brasília, pesquisando ensino, estética e cibercultura. Lattes | ORCID | Arquivo
comments powered by Disqus

Marcos Ramon / Professor de Filosofia, pesquisando estética e cibercultura.

Inscreva-se na newsletter para receber atualizações por email. 😉